Documentos recém-revelados pelo Banco de Inglaterra mostram o envolvimento do banco em ajudar os nazistas em vender ouro roubado na Tchecoslováquia depois que o país foi invadido. Ao longo da história, o Banco da Inglaterra, insiste que seu papel no caso foi "muito mal compreendido", conta o The Telegraph.

Os nazistas invadiram a Tchecoslováquia, em setembro de 1938. Em março do ano seguinte, o Banco de Compensações Internacionais (BIS) pediu ao Banco da Inglaterra para transferir £ 5.600.000 estimado de ouro de uma conta do banco nacional da República Tcheca para uma pertencente ao Reichsbank. O jornal britânico informou que os documentos revelaram que a maior parte do ouro - cerca de 2.000 barras - foi, então, "conseguida", na Bélgica, na Holanda e em Londres. O BIS era presidido na época pelo Banco da Inglaterra, e seu diretor, o alemão Otto Niemeyer.
http://3.bp.blogspot.com/-abtygJmfsBM/T4V-XCwO5pI/AAAAAAAACL8/CqnG03bBqGA/s1600/nazi-gold.jpg
O banco central do Reino Unido também vendeu ouro para nazistas em junho de 1939, sem esperar pela aprovação de Westminster, o jornal britânico acrescentou. Os documentos revelaram que "houve uma outra transação de ouro no dia 01 de junho de 1939, quando houve vendas de ouro (£ 440,000) e remessas de ouro para Nova Iorque (£ 420,000) da conta No.19 do BIS."
Desta vez, antes de agir, informou o The Telegraph, o Banco da Inglaterra remeteu o assunto para o chanceler, que disse que ele gostaria da opinião dos magistrados da Coroa.
"No BIS perguntava-se, o que estava causando atraso e diziam que seriam inconvenientes causados por causa de pagamentos feitos no dia seguinte, o Banco da Inglaterra agiu sobre as instruções referentes aos oficiais da lei, que, no entanto, posteriormente manteve sua ação." Apenas três meses depois, o Governo declarou guerra à Alemanha, após a sua invasão da Polônia, de acordo com o The Telegraph.
http://4.bp.blogspot.com/_KtSHmqQ9h3E/S19LAu0M87I/AAAAAAAAC7Q/Xg0uk5_Barw/s320/ouro_nazista.jpg
Na história oficial, o Banco insistiu que seria "errado e perigoso" para o futuro do BIS se o governador Montagu Norman tomasse qualquer outro curso de ação, The Telegraph disse. Ele afirmou que o Reino Unido e os governos franceses teriam violado tratados de paz se houvessem bloqueado a passagem.
Os historiadores tem argumentado que Montagu Norman apoiou a Alemanha até a Segunda Guerra Mundial. Ele teria ido ao batizado do filho do Dr. Hjalmar Schacht, presidente do Reichsbank antes da guerra.
O The Telegraph informou que seu braço direito no banco era Otto Niemeyer, que presidiu o Banco de Compensações Internacionais, que foi criado em 1930 como um órgão não político para facilitar os pagamentos de reparações da Alemanha após a Primeira Guerra Mundial.