Judeu é morto no Muro das Lamentações

Judeu ultraortodoxo observa local interditado pela polícia após morte de israelense
AHMAD GHARABLI / AFP
Judeu ultraortodoxo observa local interditado pela polícia após morte de israelense AHMAD GHARABLI / AFP
JERUSALÉM - Um guarda de segurança atirou e matou um judeu israelense nesta sexta-feira no Muro das Lamentações, em Jerusalém, um dos lugares mais sagrados do judaísmo. O guarda abriu fogo contra o homem, depois de supostamente ter ouvido gritos em árabe de “Allahu Akbar” (Deus é o maior), segundo o porta-voz da polícia Micky Rosenfeld. O local foi fechado aos visitantes.

De acordo com Rosenfeld, o guarda teria atirado por suspeitas de que se tratava de um militante palestino. A vítima, no entanto, era um judeu israelense de 40 anos.
- O fato de gritar Allahu Akbar deve ter levado o segurança a atirar - disse Rosenfeld. - Nós estamos investigando qual foi a razão.
O incidente ocorreu enquanto centenas de fiéis se reuniam para rezar em uma das áreas mais delicadas de Jerusalém. A praça onde está o muro se situa próxima ao Monte do Templo, reverenciado pelos judeus como um dos lugares onde se ergueu dois templos bíblicos, e à terceira mesquita mais sagrada do Islã, a al-Aqsa.

Postar um comentário

0 Comentários