Belmonte - Antiga casa de cristãos-novos



Turismo religioso- Registos sefarditas. 

A comunidade de Belmonte abriga um importante facto dahistória judaica sefardita, relacionado com a resistência dos judeus à intolerância religiosa na Península Ibérica. 

No século XVI, aquando da expulsão dos mouros da Península Ibérica, e da reconquista das terras espanholas e portuguesas pelos Reis católicos e por D. Manuel, foi instaurada uma lei que obrigava os judeus portugueses converterem-se ou a deixarem o país. Muitos deles acabaram abandonando Portugal, por medo de represálias da Inquisição. 

Outros converteram-se ao cristianismo em termos oficiais, mantendo o seu culto e tradições culturais no âmbito familiar. Um terceiro grupo de judeus, porém, tomou uma medida mais extrema. Vários decidiram isolar-se do mundo exterior, cortando o contacto com o resto do país e seguindo suas tradições à risca. 

Tais pessoas foram chamadas de "marranos", numa alusão à proibição ritual de comer carne de porco. Durante séculos os marranos de Belmonte mantiveram as suas tradições judaicas quase intactas, tornando-se um caso excepcional de comunidade criptojudaica. Somente nos anos 70 a comunidade estabeleceu contacto com os judeus de Israel e oficializou o judaísmo como sua religião. 

Em 2005 foi inaugurado na cidade o Museu Judaico de Belmonte, o primeiro do gênero em Portugal, que mostra as tradições e o dia-a-dia dessa comunidade. http://pt.wikipedia.org/wiki/Belmonte_(Portugal)

Postar um comentário

0 Comentários