Um em cada 5 israelenses se casa no Exterior


De acordo com o Bureau de Estatísticas de Israel, 20% dos judeus que se casaram em 2010 o fizeram no Exterior. "Abordagem dos rabinos a mulheres convertidas ao judaismo é terrível” diz casal que se casou em Praga.

Só em 2010 um em cada cinco casais de judeus  registraram-se como marido e mulher fora de Israel, segundo informou o Centro Bureau de Estatísticas.  O motivo é a negação das instituições ortodoxas em realizar a cerimônia e casais que não optam por terem Rabinos.

Amit Mautner e Naama Melchior
Amit Mautner de 34 anos e Naama Melchior de 26 se casaram no Chipre, após um relacionamento de oito anos. Melchior, de educação religiosa, disse que a decisão de casar fora de Israel foi um ato de protesto: " Ambos nascemos em Israel e isso não deveria ser um problema para o Rabinato”, disse. " Tornou-se um monopólio quando se determina quem pode se casar e que não pode, além disso eles estão tornando a conversão mais dificil e os rabinos cobram para os casamentos  com registro."

Mautner e Melchior pensaram em fazer a cerimonia através  do Tzohar, uma organização de rabinos ortodoxos modernos, mas como a cerimônia foi pequena optaram por casar em  Chipre. Eles se juntaram a um grupo de outros 10 casais que escolheram se casar no exterior,  por encontrar dificuldades em conseguir a aprovação do Rabinato para o casamento devido a restrições religiosas. Após uma visita ao Ministério do Interior, Mautner e Melchior foram reconhecidos como casal pelo Estado de Israel.

Gali e Roey Tzezana se casaram há dois anos em Praga. Quando tomaram esta decisão,  eles sabiam que não seria realizado de acordo com as regras do Rabinato Chefe, mas faziam questão que a cerimônia seguisse a tradição judaica. "Nós tinhamos a certeza de que queriamos honrar a tradição judaica com os nossos pais e nossos irmãos",disse Roey, "mas, novamente não queriamos um rabino, cuja abordagem aos judeus convertidos, principalmente as mulheres é aterrador. "

O casal procurou uma alternativa para cerimônia e convidou o Rabino Maurício Balter do Movimento Conservador para casa-los em um serviço que não é reconhecido pelo Estado de Israel. Para registrar-se como um casal pelo Ministério do Interior, eles tiveram que ir a Praga, onde fizeram uma cerimônia civil e foram reconhecidos após o seu regresso a Israel.

A organização Tzhoar afirmou que os rabinos de Israel devem dar uma olhada na situação e reconsiderar as convenções atuais. "Apelamos ao Rabinato Chefe para pensar como podemos trazer os casais jovens de volta para a cerimônia de casamento judaico."

Postar um comentário

0 Comentários