A Partícula de Deus



Herman Glanz

Descobre-se de que há mais uma partícula subatômica, a 32ª, o bóson de Highs, que foi chamada de ‘Partícula de Deus’, por se supor, repetindo, supor que seria a partícula que dá massa aos corpos. Por enquanto esse fato ainda não foi provado e se é de fato a partícula que se espera que seja. Um grupo de professores do Instituto Weizmann ajudou na construção do detector de partículas; um professor do Instituto Technion, de Haifa, projetou o experimento-chave para a detecção e muitos outros cientistas colaboraram na construção do acelerador de partículas, incluindo um brasileiro. 

Mas partícula ou não, o que será que dá massa ao antissemitismo que campeia pelo mundo afora? O que faz incorporar energia a esse antissemitismo abjeto, esse ódio aos judeus que se mostra crescente e sob outros ângulos? Há uma forte reação dos orientais contra o ocidente, o modo de vida democrático, a liberdade, a cultura e o empreendedorismo do mercado do Ocidente. E Israel é uma cunha no meio do mundo muçulmano naquela região com uma cultura ocidental, portanto, além do tradicional ódio, é o ódio ‘plantado’ na região. E aqueles que preveem o apocalipse querem a eliminação dos judeus, concluindo como os nazistas por um genocídio. 

Assim falam o Irã de Ahmadinejad, o Hamas, o Hizbollah e Mahmoud Abbas da Autoridade Palestina, sempre maquinando em como provocar a ira contra Israel. A bola da vez é que Arafat foi assassinado e não que morreu de Aids.

A Igreja Metodista americana aprovou boicotar seletivamente produtos de Israel. A Igreja Episcopal submete à aprovação medidas contra a “ocupação” israelense. A Igreja da Inglaterra tem programado para o Sínodo, resolução sobre a “ocupação” israelense. SABEEL – Centro Ecumênico da Teologia da Libertação trabalha com a Rede da Missão Presbiteriana Palestina-Israel de ativistas pró-palestinos, com a Igreja Episcopal, com a Missão Kairos da Igreja Metodista. 

O governo da Holanda entrega 88 milhões de euros para a ‘Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Inter-igrejas’ para apoiar movimentos palestinos. A lista é longa e não podemos relacionar tudo. Mas apenas indicamos que há apoio para um lado, lado que promove ataques terroristas e não aceita a presença israelense. Tanto aqui, como em toda a América, defendem-se os direitos dos indígenas que foram massacrados para tomar-lhes as terras. Mas lá, como os indígenas, os primitivos eram judeus, que foram massacrados e expulsos para tomar-lhes as terras não merecem igual tratamento. 

Lá não se aplica a ‘Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas’, aprovada pela ONU para os primitivos ocupantes. Descobertas recentes mostram que os indígenas não foram os primitivos; a descoberta de esqueleto de DNA caucasiano, datado de 9.000 anos, traz novas luzes, indicando que os selvícolas massacraram os primitivos. Portanto, algo está errado, e muito no Oriente Médio. 

É a manifestação do ódio contra o progresso numa região de atraso e de fascismo. Enquanto isso, continua a guerra na Síria, fazendo muita gente não entender como ocorreram rápidas deposições de ditadores noutros países na denominada ‘Primavera Árabe’ e nada ocorre na Síria, apesar das sanções do Conselho de Segurança da ONU. É que nenhum país quer cumprir as sanções, tanto para a Síria como para o Irã. 

Veja-se: Itália, Alemanha, Suíça, França, Inglaterra, Suécia, Rússia todos vendem armas e outros produtos industrializados, diretamente ou indiretamente. Portanto, não há interesse em derrubar o ditador Bashar Assad da Síria. Por isso, a região continua conturbada. Enquanto isso, o terror ganha.

Postar um comentário

0 Comentários