Sabotagem em gasoduto egípcio corta provisão de Jordânia e Israel

A provisão de gás natural egípcio para Jordânia e Israel foi interrompido neste domingo pela sabotagem de um gasoduto perto da cidade Al Arish, na Península do Sinai, no 12ª ataque deste tipo desde a queda do regime de Hosni Mubarak há quase um ano. Meios de comunicação estatais explicaram que a explosão causou um incêndio no encanamento perto do bairro de Al Zuhor, nos arredores de Al Arish, que foi controlado horas mais tarde pelos bombeiros.
Os autores do atentado, armados e com capuzes, chegaram em dois veículos 4x4 à região, onde colocaram vários artefatos sob o gasoduto. A companhia que administra o encanamento, a GASCO, teve que fechar todas as válvulas para impedir o vazamento de gás, o que causou o corte da provisão aos complexos industriais e elétricos do centro do Sinai.
Os ataques contra os gasodutos egípcios se sucederam desde a Revolução do dia 25 de Janeiro, sobretudo, na região de Al Arish, onde há um conjunto de encanamentos procedentes do Mar Mediterrâneo que se ligam com várias instalações para exportar gás a outros países. Este incidente coincide com os distúrbios no centro do Cairo entre manifestantes e policiais que desde quinta-feira passada à noite deixaram 12 mortos na capital e em Suez (nordeste).

Postar um comentário

0 Comentários