Atualizando

6/recent/ticker-posts

Header Ads Widget

Lenovo BR

Dia Nacional da Imigração Judaica foi Amplamente Comemorado



“Meu nome é Marcelo Zaturansky Itagiba. Tenho origem judaica. O quinto mandamento bíblico - “Honrarás teu pai e tua mãe” - foi minha inspiração para criar o Dia Nacional da Imigração Judaica”, disse o ex-deputado federal na cerimônia de abertura da exposição “Imigração Judaica – Cronologia e Origens”, na noite de 19 de março na Hebraica – SP

A exibição marca na capital paulista, o 2º ano em que a data - criada por projeto de lei de Itagiba e sancionada em 2009, pelo então presidente em exercício José Alencar - é comemorada.

“O número 18, em hebraico, corresponde à palavra ‘chai’ (vida). Em 18 de março de 2002, foi reinaugurada no Recife a Sinagoga Kahal Kadosh Zur Israel (Santa Comunidade Rochedo de Israel), a primeira das Américas. Assim, não haveria data mais apropriada para uma que lei representa o reconhecimento do povo brasileiro à contribuição judaica ao País”, afirmou Itagiba.

Claudio Lottenberg, presidente da Conib, definiu o ex-deputado como “nosso legitimo representante, destemido, que assumiu papeis que nenhum judeu assumiu”.

Lottenberg lembrou a multifacetada participação judaica na sociedade brasileira, sempre caracterizada por sua “solidariedade e espírito público”. Ele citou ações humanitárias da comunidade, como o projeto Itinga, que promove o desenvolvimento do setor de saúde no vale do Jequitinhonha, Minas Gerais; o auxílio no combate à dengue, no Rio de Janeiro; a missão enviada ao Haiti, pós-terremoto. “O 18 de março espelha nossa identidade e documenta nossa contribuição”, reiterou.

Ricardo Berkiensztat, vice-presidente executivo da Federação Israelita do Estado de São Paulo, afirmou que a data homenageia todos os imigrantes deste “caleidoscópio étnico” que é o Brasil. Mauricio Serebrienic, presidente do Arquivo Histórico Judaico Brasileiro (AHJB), que organizou a exposição, lembrou o discurso de Dilma Rousseff na solenidade do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, em Porto Alegre: ‘O dever de memória não deve se confundir com a passividade da simples lembrança. Ele expressa a firme determinação de impedir que a intolerância e a injustiça se banalizem no caminho da humanidade. A memória é a arma humana para impedir a repetição da barbárie’. Serebrinic ressaltou o cuidado com que é tratado no AHJB o rico acervo da comunidade.

Em Porto Alegre, no dia 18 de março, foi organizada pela Federação Israelita do Rio Grande do Sul (Firs) uma homenagem ao ministro Ari Pargendler, presidente do Superior Tribunal de Justiça, na Sinagoga Centro Israelita Porto Alegrense, e a Henry Chmelnitsky, ex-presidente da Firs, na sede da entidade. Pargendler é o primeiro presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de origem judaica. "Sou avesso a elogios. Só aceitei essa homenagem em razão do significado que é ter pela primeira vez um judeu exercendo em nosso País o cargo de presidente do STJ, e porque tem a ver com a nossa história," declarou.

O anfitrião do evento, Jarbas Milititsky, presidente da Firs, ressaltou que a busca constante pela justiça é um dever de todos e o judaísmo é a prática da liberdade. "Ter um dos nossos filhos representando nossos valores nos enche de orgulho e recompensa," elogiou. Para o presidente da Federação Israelita, a trajetória de Ari Pargendler dignifica a comunidade judaica, a sociedade gaúcha e brasileira.
Entre os convidados em Porto Alegre, o presidente da Assembléia Legislativa Estadual, Adão Villaverde; a procuradora-geral de Justiça, Simone Mariano da Rocha; a defensora pública-geral do Rio Grande do Sul, Jussara Acosta, e o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati.

Mais cedo, foi descerrado na sede da Firs um retrato de Henry Chmelnitsky, que passa a fazer parte da galeria de ex-presidentes da instituição. Jarbas Milititsky salientou as grandes qualidades e traços pessoais de Chmelnitsky, que contribuíram para um grande avanço da entidade e da comunidade judaica durante sua gestão.

No Rio de Janeiro, a Federação Israelita (Fierj) e a Associação Religiosa Israelita (ARI) fizeram uma cerimônia especial de Shabat, no dia 18, com a presença de Marcelo Itagiba; Claudio Lottenberg; Osias Wurman, cônsul-honorário de Israel no Rio de Janeiro; e Sarita Schaffel, presidente da Fierj.

Postar um comentário

0 Comentários