Acadêmicos advertem que carros não tripulados servirão para ataques de radicais islamistasAcadêmicos advertem que carros não tripulados servirão para ataques de radicais islamistas;

Em um relatório entregue nesta semana à Câmara dos Lordes, câmara alta do parlamento britânico, os especialistas asseguram que os islamistas radicais estão tentando sequestrar carros não tripulados para cometer ataques parecidos aos de 22 de março.

Os cientistas emitiram uma advertência ao parlamento do Reino Unido, revelando o risco de os grupos terroristas e até alguns Estados poderem usar a inteligência artificial para fabricar robôs assassinos nos próximos anos.

No relatório submetido à Câmara dos Lordes nesta semana, os especialistas dizem que os extremistas estão tentando roubar automóveis não tripulados para planejar ataques semelhantes aos já cometidos, como, por exemplo, na Ponte de Westminster, em Londres, em 22 de março.

Especificamente, os autores do documento detalham que os terroristas estão em vias de desenvolver armas autônomas que lhes permitam “puxar o gatilho” sem intervenção humana, relata o jornal Daily Mail.
Alvin Wilby, funcionário da empresa militar francesa Thales, acredita que “em um futuro próximo” os países-pária poderão obter armas robóticas. Nesse sentido, o aumento de carros autônomos que usam computadores a bordo oferece aos terroristas uma nova oportunidade de realizar seus ataques.

“Se o carro de alguém é reprogramado para matar pedestres, torna-se uma arma autônoma, uma ameaça terrorista real. O gênio saiu da garrafa e a capacidade está aí”, disse.

Por outro lado, Mike Stone, funcionário do Ministério da Defesa do Reino Unido, considera inevitável que isso aconteça e adverte sobre o papel que os chamados “Estados rebeldes” poderiam desempenhar.

“A Coreia do Norte e o Irã estão na lista das mentes da maioria da gente”, especificou.

*Agência Sputnik News
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião