Mohamed Ali Jafari
O comandante do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica, major-general Mohamed Ali Jafari, declarou durante uma coletiva de imprensa em Teerã na quinta-feira (23) que qualquer nova guerra na região vai provocar a aniquilação de Israel.

"Hoje dizemos que é uma afirmação comprovada que qualquer nova guerra vai levar à erradicação do regime sionista. Eles viram uma parte do poder da frente de resistência durante as guerras dos 33 dias e dos 22 dias e hoje em dia, desde que a grande frente de resistência foi formada, esta afirmação foi comprovada", afirmou o major-general iraniano, informa o RT

"O destino da frente de resistência está entrelaçado e todos estão unidos, e se Israel atacar uma parte, os outros componentes da frente ajudarão à parte atacada", acrescentou ele.

O general Jafari advertiu que o Líbano é o primeiro objetivo de Israel e diz que o "grupo de resistência libanês Hezbollah" deverá estar armado em meio a esta ameaça para manter a segurança no país árabe.

"Este assunto não é negociável e toda a nação libanesa, exceto uma série de pequenos grupos fantoches, apoia o armamento de Hezbollah", afirmou Jafari.

 Anteriormente o major-general Jafari advertiu que o regime sionista não é mais uma ameaça para o Irã e o menor erro de Israel seria o seu último erro. As declarações do alto responsável militar iraniano surgem em meio às tensões crescentes na região entre o Líbano, Israel e Arábia Saudita.
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

1 comments:

  1. O general Jafari, primeiramente agrada ao Lider máximo do Irã, O Irã não é arabe e sim persa. Alem de ser o maior inimigo da Arábia Saudita, que se atola nos seus problemas internos, é bem preparado militarmenmte e desenvolveu uma tecnologia de misseis balisticos. O sucesso de Israel estará em uma ação ostensiva rápida e bastante agressiva, para neutralizar as ameaças. Foi assim no passado e não pode ser difernte nos dias de hoje.Precisamos também de um Curdistão independente. Seria um duro golpe no regime dos turbantes.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião