O sexto sentidoHá pessoas que nascem com sexto sentido?

Qual é a diferença entre um cabalista e um vidente ou pessoas que possuem poderes psíquicos especiais?

Nostradamus era uma pessoa espiritual?

É melhor sabermos que amanhã seremos maus ou recebermos o poder para criar um "amanhã diferente"?

O que acontece com as pessoas que nascem com sexto sentido?

Na realidade, não há pessoas que nascem com sexto sentido. Há pessoas sensitivas, receptivas, que são puras de nascimento, por exemplo, Boff Lessing, na Rússia. Ele era um famoso judeu polonês que costumava aparecer em teatros e todo tipo de lugares. Ele era capaz de revelar todo seu passado e futuro. Ele predisse com antecipação quando ia morrer, o dia, a data, etc. Seus feitos foram amplamente aceitos e há muitos exemplos como esse ao longo da história. Mas isso é diferente de ser um cabalista. Os cristãos também têm profetas, como Nostradamus. As habilidades psíquicas não indicam o nível espiritual da pessoa. Isso vem da fineza – sem a abertura do sexto sentido – saindo da pureza da alma.

Podemos nos comparar a uma caixa preta, que contém todos os sentidos. Através de cinco aberturas, a alma sente esse mundo e se torna mais refinada. Essa couraça da alma tem certa densidade, mas é tão sensível, tão fina, que a luz a atravessa e sentimos toda essa luz, a chamada a "Luz Circundante", ao redor dela. De acordo com essa lógica, há certas sensações que nos transmitem o que está acontecendo e o que vai acontecer.

Normalmente, essas sensações não transcendem este mundo. A pessoa só pode revelar o passado e predizer o que vai acontecer neste mundo. Pode predizer o futuro e ajudar as pessoas usando tipos de energias e coisas similares – há todo tipo de técnica nesse mundo. Mas essas técnicas não elevam o homem do nível do ser humano ao nível do Criador. Tudo o que fazem é dar ao homem mais informação sobre a existência biológica terrena.

É como os animais, que são capazes de sentir o que vai acontecer amanhã. Podem predizer fenômenos naturais como terremotos, furacões e tempestades poucos dias antes de que aconteçam. Essa habilidade também existe dentro do nosso corpo, sendo que algumas pessoas são mais sensíveis do que outras. Por exemplo, um beduíno que vive perto da terra sente mais a natureza do que o morador de um centro urbano.

Podíamos ter sentido também há uns mil ou dois mil anos atras, mas hoje perdemos essa sensibilidade por causa do desenvolvimento da tecnologia, das técnicas e progressos científicos.

Em outras palavras, essas coisas não se referem ao sexto sentido. Não me interessam porque não me ajudam. Mesmo que eu soubesse mais ou menos o que vai acontecer no futuro, isso não resultaria em nada: eu viveria e morreria da mesma forma.

Diz-se que quanto menos sabemos, melhor... para que não nos ocupemos com certos assuntos. Para sair deste mundo de cinco sentidos para um sentido mais amplo, o chamado "sexto sentido", precisamos de ajuda externa. A pergunta é: temos que esperar que algo lá de cima nos disperte para começar a desenvolver esse sexto sentido?

Boa pergunta! Desci do Criador até um nível abaixo da barreira ("machsom") onde me sinto vivo como pessoa. Vivo em uma caixa com cinco sentidos. O que deve acontecer agora? Será que algo especial deve me acontecer de repente para iniciar o desenvolvimento do sexto sentido?

Há sete bilhões de pessoas como eu, objetos falantes. Todos tem um "reshimó", um gen espiritual, esperando para ser desenvolvido. Se fizermos uma conexão entre todas as sete bilhões de pessoas, poderemos construir uma corrente unida por gens espirituais que variam de tamanho, força e intensidade.

Acontece que há uma fila de acordo com a qual os gens começam a atuar e se manifestar dentro da pessoa. Por exemplo, digamos que você esteja sentado aqui, hoje. Entretanto seu vizinho, que está neste momento sentado em frente à televisão com uma cerveja na mão, só chegará aqui dentro de um ou dois anos. Que dizer: o que você está aprendento agora só o afetará depois de um tempo. Do que isso tudo depende? Depende da luz que vem de cima, que se torna cada vez maior. Da mesma forma, todas as pessoas que estão sentadas aqui agora, justamente como você, também estão atraindo as luzes. Ao fazê-lo, estão criando uma atmosfera neste mundo pela qual mais e mais gente se sente atraída pela luz. Você está criando um ambiente que permite que todos esses gens espirituais sejam despertados nos outros. Mesmo que sua hora ainda não tenha chegado, eles são despertados hoje porque você atraiu uma iluminação adicional a este mundo. Você está – como dizemos – acelerando os tempos.

Sinto o ambiente que me circunda através de todos os meus sentidos. Sem o sexto setido, desejo todos os prazeres deste mundo. Mas o sexto sentido, o gen espiritual – o ponto no coração ou o começo da alma espiritual – só deseja a luz espiritual. Isso é o que ele quer, é o que ele anseia. É este desejo que te traz aqui, agora, e faz você experimentar o gosto da Luz. Através dessa iluminação, o desejo comecará a crescer lentamente, e depois crescerá mais. Cresce até que essa alma, esse sexto sentido que você sente, comece a ser mais forte do que todos os outros cinco sentidos juntos. No momento em que você chegar à etapa na qual você aceitará e se identificará com esee sexto sentido, você vai querer viver só através dele. No momento em que conseguir isso, sua alma inteira será elevada. Entretanto, você continuará vivendo neste mundo só porque seu corpo físico tem que existir e se ocupar das necessidades básicas. Mas uma vez que toda a alma se elevar, nesse momento, o sexto canal estará aberto para você. A partir de então, você terá passagem livre e sentimento irrestrito. Isso significa que você estará cruzando uma barreira ou que essa barreira não existirá para você.

Através dos estudos e enquanto se estuda, temos que pensar nisso o tempo todo. Não importa o que você estude. Você estudará todo tipo de coisas, não necessariamente relacionadas a isso. Nós aprendemos sobre a construção dos mundos e todo tipo de coisas que foram feitas nesses mundos, inclusive detalhes que não são tão relevantes. Os cabalistas poderiam ter nos escrito sobre essas coisas, mas não o fizeram por uma razão. Poderiam ter nos escrito cem mil volumes. Realmente, temos muitos: seis volumes de "O Estudo das Dez Esferas" não é pouco. Mas o que fizeram os cabalistas? Eles nos mostraram o caminho, escreveram para nós só sobre lugares que são como uma espécie de encrusilhada, onde a fonte das luzes circundantes especiais para nós estão se acumulando. Por isso vale a pena estudar o que eles escreveram. De nada importa quanto cada pessoa sabe. Você passa por esses lugares e em seguida atrai luzes. E se está pensando com a intenção de realmente chegar a esses lugares, onde as luzes descem sobre você, então, realmente, você tem um trabalho árduo. Só depois vem ajuda. E atrás de nós virão bilhões.

Como se sente alguém que cruzou a barreira?

Esse é um verdadeiro problema. Há quem venha a mim e diga: "Já estou no infinito". Há muitos desses, não estou brincando. Se alguém fala isso é porque assim se sente. Que seu sentimento seja incorreto é outra coisa completamente diferente. Mas como provar isso a ele? Ele se sente assim. Às vezes tenho que olhar para essas pessoas e decidir se tenho que dizer a verdade ou não. Viver com uma ilusão tão doce e muito bom. E, de fato, está escrito: "não ponha um obstáculo diante de um cego". Isto é: se alguém não vê, é proibido pôr algo na sua frente que o faça perder o equilíbrio e cair. Mas se a pessoa realmente estiver vivendo num ambiente errado, distante, em algum lugar... Agora, por exemplo, fui convidado à Austrália – há algumas pessoas lá que querem estudar Cabalá. Digamos que alguém assim viva lá, sem apoio, sem nada, nem nossos livros, etc. Será que começo dizendo que ele está no inferno, que nem começou a saber coisa alguma e que não entende onde está?... Essa é uma grande pergunta. Se eu fizer isso, ele aprenderá? Assim como ele está equivocado, eu também poderia estar.

O contrário também acontece. Tem gente que vem a mim chorando e perguntando: "Quem sou? O que sou? Não sou nada". E pode não ser assim. E se eles estiverem num bom nível sem saber? É definitivamente um problema.

Para uma pessoa que não vive na espiritualidade, é impossível explicar o que é a espiritualidade, simplesmente porque não ela tem ferramentas. É como descrever a um cego a cor do céu ou a um surdo algum som. Como podem entender se não sabem nada sobre esse sentido? E outra coisa: como uma pessoa sabe de fato que está na espiritualidade? Ele sabe o que lê nos livros e o que começa a ser a vida real para ele. Isso significa que pode viver dentro, da mesma forma que nós vivemos neste mundo. Significa que eu atuo, que se dou – sinto uma reação. 

Da mesma forma que eu usaria uma fita métrica neste mundo, posso medir de forma muito precisa meus sentimentos, o que recebo, com quem trabalho, em que trabalho, que relação tenho com o Criador, com o Poder Superior. Em resumo, o homem não está flutuando no Poder Superior. Se dois cabalistas falam, eles usam a linguagem comum. Mas se um deles quer esconder-se, se esconderá do outro. Não é como se eles sempre se vissem. Há outras coisas relacionadas ao trabalho com o sexto sentido, com o conhecimento do Criador. Mas não quero confundir vocês. Falaremos disso lentamente e explicarei o quanto for possível.

Por enquanto, posso dizer uma coisa: quem aprender Cabalá da forma correta, pelos ensinos de Baal HaSulam e o Rabash, não conseguirá viver numa ilusão e se imaginar no infinito, flutuando num mundo espiritual e conhecendo fantasmas. Nosso trabalho é muito técnico, preciso, e o método é muito prático. A pessoa está de pé, com os dois pés no chão, e tem que usar na prática todos os seus poderes. Necessitará de todos os recursos que existem neste mundo, características positivas e atributos menos desejáveis. Só mediante esse esforço conseguirá obter uma revelação do Criador. Quando isso acontecer, ele não terá a oportunidade de flutuar. Pelo contrário, se sentirá sempre com os pés no chão.
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião