O Rei Salomão e os dois jantaresDevemos aprender através da maneira de D’us agir que devemos fazer os outros se sentirem bem, sem envergonhá-los. Esta história nos conta como:
Certa vez D’us puniu o rei Shelomô, tirando-o de seu trono real e fazendo-o vagar em lugares distantes como mendigo. Finalmente, achou seu caminho de volta a Yerushaláyim. Um homem rico reconheceu o rei apesar das roupas esfarrapadas. Perguntou-lhe: "Posso convidá-lo para jantar em minha casa, Majestade?"

Shelomô aceitou e foi levado ao lindo salão de jantar do homem. Foi-lhe servida uma deliciosa refeição de carnes caras e saborosos acompanhamentos. Quando Shelomô estava a ponto de começar a comer, o homem rico iniciou uma conversa: "Lembra-se," perguntou a Shelomô, "quando Sua Majestade convidou todos para uma refeição em seu palácio?"

Pensando sobre seu problema atual e comparando-o aos tempos em que as coisas tinham sido boas, Shelomô suspirou e pousou o garfo e a colher.
O homem pareceu não perceber como suas palavras fizeram Shelomô infeliz; apenas continuou falando.

"Jamais esquecerei o tempo em que fui visitá-lo em Yerushaláyim, quando o senhor estava julgando as pessoas," disse ele. Começou a descrever o que tinha visto naquela ocasião. Durante toda a refeição, o homem falou sobre a antiga posição de Shelomô como rei. Não percebeu que o convidado perdera o apetite por causa de suas palavras sem consideração. Shelomô apenas suspirou e chorou ao pensar na magnificência que havia perdido. Ao final da refeição Shelomô levantou-se, sem nem ao menos haver tocado a comida.

No dia seguinte, Shelomô estava vagando pelas ruas de Yerushaláyim, quando um homem pobre o reconheceu.

"Posso convidá-lo a jantar comigo, Majestade?" - perguntou.

Shelomô queria recusar, pensando na sua infeliz experiência anterior, mas o homem insistiu.
"Por favor, deixe-me compartilhar minha refeição com o senhor," implorou ele a Shelomô, até que o rei aceitou.

Como o anfitrião não podia se dar ao luxo de comprar carne, ofereceu ao rei apenas uns poucos legumes. Quando se sentaram para comer, o anfitrião começou a falar palavras encorajadoras a Shelomô. "Não se preocupe com sua infeliz situação atual, meu amo," disse ele. "Mesmo que agora estejas pobre e sinta-se rebaixado, D’us com certeza deixará que sejas rei novamente. D’us prometeu a seu pai, o Rei David, que o reinado permaneceria sempre com sua família. Da mesma forma que um pai às vezes precisa punir o filho, D’us o está castigando porque o ama. Mas no final, D’us o perdoará."

Quando Shelomô ouviu estas palavras, seu coração tornou-se leve e sentiu-se confortado. Comeu os vegetais em seu prato com grande prazer. Nem mesmo a refeição mais refinada teria lhe causado melhor sabor.

Mais tarde, quando Shelomô compôs o livro de Mishlê, escreveu: "É melhor servir apenas vegetais a um convidado e fazê-lo sentir-se bem do que oferecer-lhe um boi gordo e ao mesmo tempo fazê-lo sentir-se mal."

Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

1 comments:

  1. Muito bom. Quero agir como o segundo anfitrião no meu caminho.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião