OCT 22 Delegação Israelense se retira de conferência internacional em meio a ataques perniciosos, uma "piada de mau gosto"
egisladora Sharren Haskel na conferência da UIP. (UPI)
Uma delegação do Knesset, enfrentando insultos, retirou-se de uma reunião de cúpula internacional após congressistas aprovarem uma série de propostas anti-Israel.

A delegação do Knesset na 137ª Assembleia da União Interparlamentar em São Petersburgo, Rússia, se retirou da sessão plenária da quarta-feira depois que a organização aprovou uma série de propostas anti-Israel, que incluíam apelos para libertação dos assassinos condenados Marwan Barghouti e Ahmad Saadat.

Israel foi censurado por manter membros do Conselho Nacional Palestino representando o Hamas, em detenção administrativa . Não houve menção aos civis Israelenses inocentes mantidos presos em Gaza pelo Hamas, que no mês passado recusou o pedido da Cruz Vermelha Internacional para visitá-los.

A delegação do Knesset estava formada pelos membros do Knesset Nachman Shai (Zionist Camp), Sharren Haskel (Likud), Yoseph Yonah (Zionist Camp), Haim Jelin (Yesh Atid) e pela secretária do Knesset, Yardena Meller-Horowitz.

Shai, que liderou a delegação, disse durante a reunião: "Eu, ingenuamente, pensava que a organização, como o resto do mundo, estava unida no combate ao terror, já que o terror ameaça a todos os países em qualquer lugar e a qualquer momento. Vocês querem libertar assassinos condenados da prisão? Eu pensava que vocês queriam combater o terror e não ajudá-lo, mas a realidade é outra".

Ele acrescentou que Israel está comprometido em promover a paz com seus vizinhos, incluindo os Palestinos. No entanto, ele enfatizou: "de maneira alguma, isto acontecerá à custa de uma luta implacável contra o terror".

'Isto é uma piada de mau gosto'

Após várias delegações, incluindo as da Síria, Paquistão, Jordânia, Kuwait e Autoridade Palestina, criticarem o Estado Judeu, a delegação Israelense respondeu - em meio a gritos e insultos.

"Eu penso que isso é uma piada de mau gosto", afirmou Haskel. "Países como a Síria e o Irã são hipócritas. Eles querem ensinar a Israel o que é moralidade e direitos humanos. Esta organização deveria apoiar e fortalecer a democracia, mas na Autoridade Palestina as eleições não ocorrem há mais de 10 anos e nenhuma pessoa com menos de 29 anos jamais votou. Que tipo de representantes eleitos são estes?"

Marzouq Al-Ghanim, chefe da delegação do Kuwait que tentou impedir Israel de participar da conferência, em um discurso inflamado contra os Israelenses, disse que a delegação "representa a forma mais perigosa de terrorismo, o terrorismo de Estado" - foi aplaudido com entusiasmo.

Israelenses rotulados de "assassinos de crianças"

Chamando o estado Judeu de "ocupante brutal", ele exigiu: "Saiam desta sala agora, se vocês têm um átomo de dignidade. seus ocupantes, assassinos de crianças."


Os Israelenses saíram, mas não porque Ghanim lhes disse para sair. Em vez disso, eles saíram em protesto contra as resoluções anti-Israel.

Após a reunião, a delegação enviou um protesto formal ao ex-presidente da UIP, Saber Chowdhury, de Bangladesh, dizendo que ele havia prejudicado gravemente a posição neutra da organização, permitindo que os estados Árabes constantemente se ridicularizassem e interrompessem os palestrantes Israelenses e que ele mesmo não havia atribuído à delegação do Knesset o mesmo tempo dado aos outros.

por: Adina Katz, World Israel News 
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião