Ki Tavôבס''ד
לעילוי  נשמת
מזל בת אסתר נאצר נלב''ע ה' סיון תשמ''א
חיים בן שפיאה נאצר ז''ל נלב''ע י''ז שבט תשס''ב
אסתר בת אולגה  נלב''ע  כ''ב כסלו
מרדכי בן שרה הכהן דואק כ''ו תמוז
גרשום בן עקיבא רבינוביץ ב' אלול
Nossa Parashá foi dedicada por Paulinho Rosenbaum
Leilui Nishmat do seu pai R’ Yechiel Mendel Rosenbaum Z”L

Ki Tavô                                                                      כי תבוא


       Nossa Parashá nos conta sobre bênçãos e maldições. Sabemos que D'us é a essência do bem e a natureza de quem é bom é fazer o bem, então o que são essas maldições?


       Rabi Shneior Zalman fazia pessoalmente a leitura do Sefer Torá em Liozna. Um Shabat, quando as maldições seriam lidas naquela Parashá, ele não estava na cidade e outra pessoa leu no lugar dele. O filho do Rabi Shneior Zalman que se chamava Dov Ber ficou tão angustiado quando ouviu a leitura das maldições que passou mal o mês inteiro.


Quando descobriram que o motivo de ele estar passando mal foi por ter ouvido as maldições perguntaram à ele :-Todo ano você ouve essa Parashá, o que aconteceu agora?  : - Quando meu pai lia, respondeu ele, não se ouvia nenhuma maldição!


Quando esse filho cresceu e se tornou o segundo Rebe de Chabad e o primeiro Rebe da cidade de Lubavitch , revelou à todos o motivo de existirem essas maldições na Torá e explicou isso da seguinte maneira:


Dentro de todo acontecimento infeliz está revestida uma bondade Divina enorme, portanto tudo que D'us faz é para o bem e não existe mal que desce lá de cima , e por isso se faz uma bênção sobre um acontecimento infeliz da mesma maneira que se faz uma bênção sobre um acontecimento feliz.


Quando termina o aspecto negativo do acontecimento infeliz, (ou seja, depois que ele passa) automaticamente se revela o bem que estava oculto nele que é muito superior à uma bondade normal revelada, (mas essa bondade maior só surge como consequência do acontecimento infeliz) como ouvi do meu pai (Rabi Shneior Zalman) sobre a raiz do assunto das maldições da Torá que, no final elas se transformam em "super bênçãos" por causa da grande intensidade da bondade oculta nelas que se revela quando termina esse revestimento de extrema rigidez



Outro assunto interessante sobre as maldições da Torá:


Explicação do  Baal Shem Tov sobre um versículo em Nitzavim que diz: “....quando vier sobre você a Bênção e a maldição"


“a Bênção que é uma maldição”:


O Baal Shem Tov traz um exemplo de uma pessoa que fez algo contra um Rei muito bondoso e poderoso. Essa pessoa foi condenada à morte pelo tribunal do rei, mas no lugar disso o Rei pediu para darem à ele um cargo no governo e depois ir promovendo ele cada vez para um cargo mais alto e mais próximo ao Rei.


Quanto mais essa pessoa era promovido e se aproximava do Rei, mais ele ficava com vergonha do que tinha feito. Quanto mais ele via a força e o poder do Rei e junto com isso a grande bondade do Rei que usava todo o seu poder e sabedoria para ajudar as pessoas , quanto mais ele via a honra que todos davam ao Rei que ele tinha desprezado tanto, mais sofria com a lembrança do que tinha feito .


Afinal chegou à conclusão de que não existe castigo pior do que esse e quem dera pudesse ter sido condenado à morte, porque se tivesse sido condenado à morte não sofreria tanto com esses remorsos. O Rei vendo que essa pessoa se arrependeu do seu comportamento e voltou a se comportar certo o desculpou totalmente.


Esse Rei é Hashem e essa pessoa somos nós, a maldição não precisa ser necessariamente uma tragédia para fazermos “Teshuvá” (retorno) mas podemos cumprir essas maldições dessa forma também em vez de sofrermos .


Por isso está escrito:-"E será quando vier para você a bênção e a maldição , você vai colocar no seu coração (se conscientizar) etc". Ou seja, esse tipo de “bênção” pode ser chamado por nós de maldição por nos fazer sofrer um grande remorso nesse mundo, mas o bem oculto dela é nos trazer à essa conscientização , voltarmos para o bom caminho e recebermos uma grande Bênção material e espiritual como consequência da nossa Teshuvá.


E essa é a Teshuvá verdadeira. Quando fazemos Teshuvá para termos uma vida melhor ou para Hashem nos salvar de uma vida pior , essa Teshuvá também é válida mas ela só tem força para transformar nossos pecados de intencionais (mezid) para não intencionais (shogueg) mas ela não apaga os nossos pecados. Simplesmente não recebemos um castigo por eles porque revelamos que não estávamos conscientes da gravidade deles , como é o caso da criança que foi presa entre os idólatras e se comporta como um idólatra por ter crescido entre eles ,  por ele não ter consciência da gravidade do que está fazendo tudo o que ele faz de ruim é considerado “sem querer” e ele não recebe um castigo do tribunal Divino pelo que fez.


Mas quando nos conscientizamos da grandeza de D’us e sentimos remorso por ter feito alguma coisa contra D’us, essa é a Teshuvá verdadeira, e sendo que o pecado que fizemos nos causou esse remorso ele deixa de ser um pecado e se torna parte da Mitzvá da Teshuvá. Ou seja, quando fazemos Teshuvá por amor à Hashem nossos pecados se tornam Mitzvot, e esse é o bem oculto nessa Brachá que vem como uma uma klalá.

Conclusão : O acontecimento infeliz é um bem oculto de uma intensidade tão grande que não teve como descer para esse mundo de uma forma revelada , e por isso ele desce com um revestimento de maldição . Por isso devemos estar sempre alegres, mesmo que aparentemente as coisas não estão como deveriam estar , não podemos fazer uma condição de estarmos alegres somente quando as coisas estão do jeito que queremos.


Temos que ter  uma fé total de que quando esse revestimento terminar e o bem oculto se revelar vamos ver que valeu a pena ter tido um pouquinho paciência para depois usufruir de uma bondade Divina tão grande que não teríamos como chegar a ela de outra maneira é por isso temos que estar alegres durante a situação ruim, por ela ser a embalagem da coisa maravilhosa que estamos desembrulhando 


O desencadeamento das sefirót é : primeiro Chessed (bondade) depois guevurá (rigidez) e depois Tiféret (bondade intensa). Para chegar à essa bondade intensa , obrigatoriamente temos que passar por um pouquinho de guevurá.

Mas logo vai chegar o Mashiach e aí será só bondade intensa e revelada eternamente!

Rabino Gloiber
Your Personal Rabbi
כתיבה וחתימה טובה לשנה טובה ומתוקה

Ki Tavô

Ki Tavô

Ki Tavô

Ki Tavô

Ki Tavô

Ki Tavô

Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião