No Brasil, tem circulado a informação equivocada de que o nazismo seria de esquerda.
O Nazismo é de extrema direita
 Texto de Michel Gherman
No Brasil, tem circulado a informação equivocada de que o nazismo seria de esquerda. Para esclarecer que o nazismo é de extrema direita, não sendo, portanto de esquerda e tampouco de direita liberal, convidei para escrever no blog o acadêmico Michel Gherman, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém e coordenador do Centro de Estudos Judaicos da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Obviamente, críticas, com respeito e educadas, são bem vindas.
Tenho acompanhado debates e discussões sobre a natureza política do nazismo. Com alguma preocupação tenho visto pessoas compartilharem informações segundo as quais o nazismo seria um movimento de esquerda, uma vertente do socialismo, uma forma de marxismo. Eu realmente não pensava que um artigo com esse seria necessário. No início achava que o debate não passava de uma discussão de gente ideologicamente comprometida, um debate sem importância nas redes sociais. Pois bem, não era isso. Em tempos de “fake News”, versões falseadas de história também devem ser combatidas, sob o risco de se tornarem versões oficiais.
Pessoas que defendem a tese de que o nazismo era de esquerda o fazem baseado em dois argumentos principais, o primeiro deles seria de que o próprio nome do partido de Adolf Hitler continha o termo “socialismo”, o que segundo eles seria uma prova para apontar a identificação do movimento com o marxismo. O segundo argumento seria o de que certo estatismo nazista aproximaria o nazismo da esquerda política.
Iniciaremos com o primeiro argumento:
O Nazismo é de extrema direitaA ideia de que o nome de um partido explicitaria, de forma direta e absoluta sua identidade é um exagero e um equivoco. Assim fosse, alguns partidos brasileiros seriam bastante diferentes do que são. O PDS seria um partido de esquerda. O atual PTB estaria, de fato, preocupado com o legado trabalhista e o PPS estaria na extrema esquerda do espectro político. Basear a natureza de uma agremiação política apenas em seus títulos remete a um nominalismo banal e irrelevante. Infantiliza o debate e transforma tudo em uma discussão rasa e baixa. Além de demonstrar profundo desconhecimento histórico mesmo.
Me explico:
O Partido Nacional-Socialista dos trabalhadores Alemães, Havia sido criado a partir do Partido dos Trabalhadores Alemães, fundado por Anton Drexler. Esse partido desde sempre fora anticomunista e antissemita e tentava combater o marxismo e os levantes comunistas na Alemanha. Em 1920, Adolf Hitler toma a liderança do partido e o transforma em Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães.
O Nazismo é de extrema direita
Sua intenção era criar um partido de massas, radicalmente antissemita e anticomunista. Hitler e os nazistas eram nacionalistas extremistas. Acreditavam na construção de um Estado alemão baseado na raça ariana. Assim, quaisquer perspectivas de classes ou internacionalistas eram consideradas posições inimigas e deviam ser derrotadas. Dessa forma, Hitler percebe o socialismo, o marxismo e o judaísmo como inimigos. Os dois primeiros por falar em luta de classe e internacionalismo, o segundo por ser, segundo ele, cosmopolita.
Não há dúvida, o nacional –socialismo se consolida como movimento de extrema direita, anti- marxista e antissemita.
Agora sobre o segundo ponto, a pretensa aproximação com o socialismo pela perspectiva estatista do Nazismo.
Para além de ser antissemita e anticomunista, o nazismo sempre fora antiliberal. Assim, ele não acreditava em políticas universalistas e descentralizadas. O Estado Nazista, contrário a luta de classes, se aproximava de grandes empresas, tinha um discurso anti especulativo e tinha como objetivo a expansão racial, militar e territorial.
Mais uma vez, ao contrário de perspectivas social-democratas, socialistas ou marxistas, a centralização estatal não tinha intenções distributivas, não pretendia combater a desigualdade econômica ou diferenças sociais. Ao contrário, a razão de existência do Estado era manter as diferenças, diferenças raciais. Estabelecer um estado racialmente hegemônico, escravizar e eliminar raças inferiores. Combater e exterminar a oposição que falava em classes sociais.
O nazismo, ao contrário do socialismo, não intencionava a abolição da propriedade privada e nem a coletivização dos meios de produção. O nazismo gostaria de garantir a arianização da economia, buscava ter alianças com grandes empresas verdadeiramente alemães e buscava construir um estado corporativo. O nazismo constituía-se assim, como modelo de capitalismo excludente e estatal. Nada mais distante do que qualquer posição à esquerda.
Mas não se enganem, nada mais distante, também, de qualquer posição de direita liberal. O nazismo era um movimento de extrema-direita, o que em sua natureza é distinto da direita liberal e democrática.
Por fim, gostaria de afirmar o vínculo do nazismo com teorias conspirativas da história.  O complô judaico-marxista era constantemente denunciado por Adolf Hitler em discursos e textos. Não havia, nesse sentido, espaço para o livre pensar.
Todos estavam vinculados a alguma conspiração e deviam ser delatados ao Estado. Assim, não havia espaço para uma esquerda liberal, para a social democracia, para o socialismo não marxista. Ser de esquerda era, segundo, as teses nazistas, ser vinculado ao complô judaico-bolchevique. Ser marxista era ser parte da conspiração judaico-comunista.
Devo dizer que o que mais me preocupa nessa onda que tenta vincular o nazismo a esquerda é que percebo esta mesma tentativa. A ideia de conspiração também está presente hoje, Em textos, posts ou vídeos, a narrativa de uma conspiração esquerdista me faz pensar que estamos diante de um novo surto de extrema direita. O que seria trágico para todos os democratas e liberais, sejam de direita ou de esquerda.
Fonte: http://internacional.estadao.com.br



Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

9 comments:

  1. Assim como seria uma infantilidade basear o aspecto de uma ideologia apenas por sua nomenclatura formal ("socialismo", por exemplo), também o é quando se toma o seu regramento interno doutrinal sem se levar em conta aquilo que de fato se dá na prática... E na prática a história é bem outra... Na prática o nazismo defendia justamente o que a esquerda pratica e defende no mundo, a saber: um Estado enorme e onipresente, o desarmamento da população civil, o aborto, aversão a Israel, cumplicidade e apoio incondicional ao Islã, controle social da mídia, anti-tabagismo, eutanásia, dívida histórica... Tudo isso, a exemplo da esquerda, o nazismo praticava... Na verdade o nazismo e o socialismo (defendido pela esquerda) são uma teratomaquia: uma briga (violenta e sanguinária) entre dois monstros. Quem afirma que o nazismo era de direita ou de estrema direita de duas, uma: trata-se de uma ignorante, aliás, que desconhece inclusive o fato de Hitler ter perseguido e matado vários conservadores da sociedade alemã ou trata-se de um desonesto e leviano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok, senhora Sandra, chamar um estudioso de ignorante é deveras sábia de vossa parte. Mas repassaremos para ele teu comentário. Obrigado por comentar. Boa sorte

      Excluir
    2. Olá, bom dia. Shalom! Ótimo, faça isso porque "estudioso" não legitima como sendo verdadeira ou correta uma ideia... Isto deveria ser bastante óbvio... Stephen Hawking é um estudioso renomado de física, mas um completo ignorante a respeito de D'us. Ilan Pappe,famoso historiador revisionista israelense, esquerdista até os ossos, altera fatos históricos à seu bel prazer e exclusivo talante a fim de difamar Israel, aduzindo que Israel estaria promovendo um "limpeza étnica" dos palestinos... Ou seja, estudioso mas desonesto até a medula... Alfred Rosemberg, intelectual e estudioso ficou conhecido como sendo "a mente por trás de Hitler"... Eu indago: por ser intelectual e estudioso esse sujeito tinha razão em fomentar a "Solução Final"? Por fim, não é o título, o diploma, a carteirada que chancela como verdadeiro um discurso... O que está em voga aqui é o que o tal "estudioso" está a dizer e não quem ele é... E parabéns a este blog pela sua posição democrática ao publicar a minha refutação, ainda que discorde dela. É que geralmente os esquerdistas gostam muito de falar, mas não gostam nenhum pouco de ouvir... Geralmente para o esquerdista todos teriam direito à livre opinião desde que concorde com ele... Risos. Shalom.

      Excluir
    3. Repetindo extremismos não contribuem para nada, vida que segue. Gratos por etar aqui...espaço aberto

      Excluir
    4. Bem se realmente entende de sociologia e historia por gentileza se poupe nos poupe de comentários que não acrescentam com o estudo ok. Grato

      Excluir
  2. Enquanto isso no Rio de Janeiro no Brasil.....
    https://extra.globo.com/casos-de-policia/pela-terceira-vez-em-menos-de-um-mes-casa-do-mago-alvo-de-acao-criminosa-no-humaita-21711054.html

    ResponderExcluir
  3. Shalon.boker tov.. Excelentíssima Sra.Sandra se realmente entende de sociologia e historia então por gentileza evite comentários que não agregam conhecimentos e sim polemicas tolas e desnecessárias ok. Bom final de semana shalon.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Risos. Estava demorando: "...nos poupe de comentários..." Eis aí tudo da dialética e argumento esquerdista. Está vendo "Coisas Judaicas"! Era disso que eu falava... A liberdade de expressão é aceita pela esquerda DESDE QUE se concorde com a ladainha esquerdista... Debate então nem pensar. Só se for entre a 'tiurma' mesma hein... Daí é mais fácil não é mesmo...? Isto é tudo. Lindo, não? E o que é pior: o sujeito afeta assim uma pose de indignação sem perceber, contudo, que a pose não refuta absolutamente nada do que eu escrevi com um mínimo de dialeticidade e fundamento lógico, racional baseado em fatos históricos que citei ainda que minimamente. Um convite respeitoso Sr. Renan Lobo: em vez de afetar pose de indignação e via automatismo mental rotular uma espécie de "cala boca" a outrem (acostumado que está à psicologia fugidia mediante agressividade do coletivo ou grupo que pertence), agregue a nós outros os conhecimentos que você possui! Vamos lá!Rebata as minhas colocações amigo! Ou vai também afetar a superioridade de quem não tendo argumento nenhum empina o narizinho e finge desprezo do tipo "com quem pensa que está falando, sabe quem eu sou?". Shalom meu querido.

      Excluir
  4. Shalom! Vejam que vídeo divertido, em tom alegre e equilibrado, a respeito do assunto aqui tratado. Muito instrutivo e esclarecedor:

    https://www.youtube.com/watch?v=tw8nXu8OY_w

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião