O Ano Jubileu 
Por Baruch S. Davidson

Pergunta:

Ainda é observado o ano Jubileu? Quando será o próximo?

Resposta:

O Ano Jubileu não está sendo atualmente observado ou comemorado. Os motivos são complexos e envolvem muitas opiniões diferentes sobre o assunto. Nas linhas a seguir tentarei transmitir brevemente as questões relevantes.

Segundo a lei bíblica, o Jubileu somente é observado quando todas as doze tribos da nação judaica estão vivendo em Israel, como diz o versículo,1 “E deverás santificar o quinquagésimo ano, e proclamar liberdade por todo o pais para todos que ali vivem,” – significando todos que deveriam estar vivendo ali – na Terra de Israel. Além disso, o Jubileu somente é observado quando toda tribo está vivendo na parte especificada terra que lhe foi conferida quando a Terra de Israel foi dividida. Porém, alguns são da opinião de que o Jubileu é observado enquanto houver uma representação parcial de cada tribo, mesmo se a maior parte da tribo não estiver em Israel.

No 6º século AEC, os assírios conquistaram o Reino Norte de Israel e enviaram ao exílio a maior parte da população. Aqueles que foram deportados são historicamente conhecidos como as Dez Tribos perdidas.

Estamos certos de que antes daquele tempo o Jubileu era regularmente observado. Sabemos também que, com a destruição do Segundo Templo e a dissolução do Sanhedrin (Suprema Corte Rabínica), deixamos de assinalar o Ano Jubileu em qualquer forma. O período sobre o qual há uma questão são os anos restantes entre o exílio das Dez Tribos e a destruição do Primeiro Templo, e a Era do Segundo Templo.

Segundo a opinião de que a representação parcial de cada tribo é suficiente para preencher a exigência escritural, Jubileus biblicamente ordenados foram plenamente observados durante os períodos em questão, porque ali permaneceu uma pequena representação de cada tribo em Israel. No entanto, segundo a primeira opinião acima mencionada, com o exílio do Reino Norte a condição requerida para o Jubileu ser santificado foi perdida. Assim, a última vez em que houve uma exigência bíblica para observar o Jubileu foi cerca de 150 anos antes da destruição do Primeiro Templo.

A questão permanece, no entanto, se de acordo com essa opinião os anos de Jubileu foram designados ou observados durante este tempo por ordem rabínica. Este é o tema do debate entre os sábios.2

Como foi mencionado acima, porém, hoje o Ano Jubileu não é designado nem observado.3

E agora para a resposta à sua pergunta: “Quando é o próximo Ano Jubileu?” Esperamos fervorosamente o dia em que D'us trará de volta nossa nação inteira para nosso pais – incluindo as dez tribos “perdidas” – e iremos novamente voltar a observar o Ano Jubileu, bem como muitas outras mitsvot que somos incapazes de cumprir até que chegue esse dia tão esperado!4

NOTAS

1.

Levítico 25:10

2.

Os motivos por trás deste debate: Embora não houvesse exigência bíblica para observar o Ano Jubileu depois que as Dez Tribos foram exiladas, a observância de shemitá (ano sabático) permaneceu uma obrigação bíblica. A integridade do ciclo de sete anos sabático dependia do ciclo maior de cinquenta anos – após completar ciclos de sete anos, um hiato de um ano era feito antes de começar o novo ciclo (no 51º ano). Assim, era necessário designar um quinquagésimo ano “Jubileu” (não-observado). Outros explicam que os sábios também instituíram a observância (parcial) das leis do Jubileu para comemorar a mitsvá bíblica. Porém, há também uma opinião no Talmud de que o Jubileu não é um “ano entre ciclos”, mas sim o primeiro dos próximos 49 anos, e assim não designá-lo não iria impactar o cálculo dos ciclos sabáticos. Esta opinião também afirma que os sábios nunca instituíram o Ano Jubileu como uma comemoração.

3.

Embora as leis de shemitá sejam observadas em Israel até hje, o Ano Jubileu não é designado ou observado. Há muitos motivos para isso. Alguns deles: a) O Jubileu somente afetava o ciclo shemitá quando a shemitá era estabelecida e declarada pelo Sanhedrin, diferente de hoje quando é automaticamente programada no calendário judaico perpétuo. b) A observância de sehmitá hoje é somente um decreto rabínico, e portanto o Ano Jubileu não afeta seu ciclo. c) Nenhuma comemoração é válida quando não há Sanhedrin, cuja participação na declaração do Ano Jubileu era integral. De fato, era o toque do shofar do Sanhedrin em Yom Kipur que assinalava a chegada do Ano Jubileu.

4.

A informação nessa resposta é tirada da Enciclopédia Talmudit, vol. XXII, s.v. :Yovel”.
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião