$3 mil por mês da autoridade palestina para família de terrorista assassino

A família de Omar al-Abed, que as autoridades israelenses disseram ter entrado na casa de uma família judaica em Israel sexta-feira e esfaqueado três pessoas até a morte, receberá um pagamento mensal da Autoridade Palestina por matar judeus.
Liel Leibovitz, da Tablet, informou que al-Abed, que foi ferido após o vizinho da família Salomon atirar nele várias vezes e posteriormente foi capturado pelas autoridades israelenses, ganhou para sua família mais de US$ 3.000 mensais por suas ações.
Além disso, de acordo com a Tablet, a Autoridade Palestina pagará à família al-Abed esse dinheiro pela realização de atos terroristas com a ajuda de contribuintes americanos:
Enquanto a família [Salomon] enterrava seus mortos – a comunidade passou o dia lavando o sangue de Yosef, Chaya e Elad da cozinha e da sala de estar e consolando aqueles que haviam assistido seus entes queridos morrerem – a família al- Abed vai desfrutar de um generoso pagamento, cortesia da Autoridade Palestina, que usa o dinheiro que recebe, entre outras fontes, dos contribuintes americanos para recompensar os assassinos dos judeus. Como o pagamento é compatível com a duração da sentença da prisão do terrorista, e porque a sentença cresce quanto mais judeus o terrorista mata, os al-Abeds serão ricamente recompensados ​​pela feição assassina de Omar: o salário mensal pago às famílias dos condenados a 30 anos ou mais na prisão é de $ 3.120. Apenas para comparação, um engenheiro palestino médio ganha cerca de US$ 1.300 por mês.
O Jerusalem Center for Public Affairs destacou no orçamento do Ministério das Finanças da Autoridade Palestina que os salários mensais dos terroristas são pagos com base em quantos judeus matam durante um ataque. Al-Abed, que matou três judeus, receberá 10 anos de prisão para cada membro da família de Salomon que ele matou e sua família receberá um salário mensal de mais de US$ 3.000 por conta disso.
De acordo com o Palestina Media Watch, esses pagamentos são retirados do “orçamento geral de salários” da Autoridade Palestina, juntamente com funcionários públicos e membros do exército palestino. Na verdade, a Autoridade Palestina paga mais a eles do que o trabalhador típico da função pública, que ganha menos de US$ 28 por dia, conforme destacado pelo Departamento de Estatística Palestino.
$3 mil por mês da autoridade palestina para família de terrorista assassinoO primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu destacou a prática incentivadora do terrorismo da Autoridade Palestina em seu famoso discurso de 2016 para a Assembléia Geral da ONU, contando a hipotética história de um menino encorajado a matar judeus via a Autoridade Palestina. “Durante o jantar, Ali pergunta a sua mãe o que aconteceria se matasse um judeu e fosse para uma prisão israelense. Aqui está o que ela diz a ele”, disse Netanyahu. “Ela diz que seria pago milhares de dólares por mês pela Autoridade Palestina. Na verdade, ela diz que, quanto mais judeus ele matasse, mais dinheiro ela ganharia. Ah, e quando ele sair da prisão, Ali teria garantido um trabalho na Autoridade Palestina”.
As palavras de Netanyahu sobre a garantia de um trabalho também são verdadeiras. De acordo com o JCPA, assim que al-Abed for liberado de seus 30 anos de prisão, a ele será dada a posição de alto cargo de “ministro”. Salários como o de al-Abed serão pagos com a ajuda dos contribuintes americanos. A Fox News informou que os Estados Unidos deram milhões em ajuda à Autoridade Palestina, incluindo US$ 133 milhões em 2016.
De acordo com Jibril Rajoub, secretário-geral do Comitê Central do Fatah da Autoridade Palestina, ela tem o dever de dar dinheiro às famílias de terroristas que morrem ou estão presos pelo ato de matar judeus. “Temos um sistema, uma responsabilidade social para com as famílias dos prisioneiros, não importa por que ele esteja preso”, disse Rajoub durante uma reunião da cidade de Nova York do Fórum de Política de Israel.
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião