Nazista comandante de vários massacres vive como carpinteiroNazista comandante de vários massacres é descoberto vivendo como carpinteiro.

Ao julgar por sua aparência frágil, simples e inofensiva, ninguém imaginaria que na verdade ele foi um comandante feroz e perverso. Michael Karkoc, de 98 anos, carpinteiro e cidadão de Minneapolis, foi o comandante da Legião de Autodefesa da Ucrânia, subordinada a SS de Hitler.

A Fera de Chlaniów (Polônia), como era conhecido, matou homens, mulheres e crianças. Devastou povoados inteiros , guardava com orgulho as runas e a caveira da SS (Organização militar ligada ao partido Nazista).
Nazista comandante de vários massacres vive como carpinteiro
Apesar de tudo isso, levava uma vida pacata como carpinteiro aposentado. Mas depois de uma grande investigação jornalística, conseguiram descobrir a sua verdadeira identidade, no entanto a família nega sua relação com tudo isso.

Segundo consta em relatos, Karkoc ingressou no exército alemão em 1941, chegando rapidamente ao posto de comandante. Dentre as acusações que recebeu, a única que conta com testemunhas foi uma operação comandada  por ele em 23 de julho de 1944, contra a população de Chlaniów, de onde ganhou esse apelido de "besta".

Nazista comandante de vários massacres vive como carpinteiroApós o fim da guerra, ele conseguiu se esconder nos EUA, procurou casa, conseguiu formar uma família e assim viveu em silêncio por décadas, até agora. Com 98 anos, ele enfrentará a justiça. A promotoria polonesa, alega que vai pedir sua extradição para que ele possa pagar pelos crimes cometidos na região de Lublin, durante a Segunda Guerra Mundial.

A família de Karkoc, luta na justiça apresentando um laudo médico que supostamente afirma sua incapacidade física e mental para ser processado. Mas essa iniciativa não foi o suficiente para a promotoria, que solicitou novos exames independentes.

Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião