,

Latest News

loading...

10/02/2017

O que Albert Einstein dizia sobre imigração em 1940

O que Albert Einstein dizia sobre imigração em 1940O discurso é pouco conhecido e foi feito pouco depois dos eua se recusarem a receber 937 judeus a bordo do navio st. Louis.
A Segunda Guerra Mundial estava no início quando o físico teórico Albert Einstein, então integrante do Instituto de Estudos Avançados de Princeton, na Universidade de Princeton, nos EUA, se posicionou contra sistemas de segregação racial.
Pouco conhecido, o discurso mostrava descontentamento com as políticas eugenistas perpetradas pela Alemanha do Terceiro Reich, que se agravaram nos anos seguintes. Einstein criticou as vozes nacionalistas que acusavam imigrantes pelo desemprego entre nascidos americanos.

“Existe uma incompreensão quando o assunto são imigrantes. O desemprego não cairá ao se restringir a imigração. O desemprego acontece porque há má distribuição do trabalho entre os que são capazes de trabalhar. A imigração aumenta tanto quanto o consumo e a mão de obra. A imigração fortalece não só a economia interna de um país escassamente povoado, mas também seu poder defensivo.”
Albert Einstein
Em discurso ao lado da “Wall of Fame” de negros, indígenas e imigrantes
O discurso foi feito em 1940 na abertura da exposição “Homenagem à diversidade da população dos EUA”, ao lado do “Wall of Fame”, um quadro com o nome de negros, indígenas e imigrantes importantes para a história americana criado pelos organizadores da exposição mundial World’s Fair, em Nova York.
 “Quanto aos imigrantes, eles são os únicos a quem se pode atribuir o mérito de serem americanos. Pois eles tiveram que enfrentar dificuldades por sua cidadania, enquanto que para a maioria não custou nada nascer numa terra de liberdade civil”, disse o cientista.
 Einstein falou sobre a disputa racial americana que dificultava a vida de judeus e imigrantes e disse também que os EUA tinham “uma dívida pesada para pagar por todos os problemas e dificuldades que colocou sobre os ombros dos negros, por tudo o que seus concidadãos fizeram e até certo ponto ainda estão fazendo”.
 Judeu e alemão
Albert Einstein nasceu em 1879, em território do Império Alemão, onde hoje fica o Estado de Baden-Württemberg. Antes de se mudar definitivamente para os Estados Unidos, em 1935, o físico, que também era judeu, já frequentava e morava na cidade americana de Princeton durante seis meses por ano, pois fazia parte do grupo de pesquisadores do Instituto de Estudos Avançados de Princeton.
 Einstein estava em solo americano quando os Estados Unidos se recusaram a receber 937 judeus que fugiam da Alemanha nazista a bordo do navio St. Louis, em 1939. Mais tarde, 254 judeus que foram impedidos de se refugiar acabaram morrendo na Europa — muitos deles em campos de concentração.
 A história é relembrada pela conta St. Louis Manifest no Twitter. Ela conta as histórias das pessoas que os EUA se recusou a receber — em um contexto político em que o atual presidente do país, Donald Trump, tem feito uma série de políticas anti-imigração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião

Google+ Followers

Seguidores

ormal Real Time Web Analytics