,

Latest News

loading...

12/12/2016

Crise aumenta fluxo de brasileiros para Israel

Até o final deste ano, cerca de 700 judeus terão deixado o Brasil para viver em Israel, segundo a Agência Judaica, órgão ligado ao governo israelense que atua como facilitadora do processo de emigração em todo o mundo. O número não apenas constitui mais do que o triplo da média anual como é também o maior dos últimos 45 anos. Por trás dessa mudança estão presentes as mais diversas motivações. 

Crise aumenta fluxo de brasileiros para Israel
Segundo Revital Poleg, representante da Agência Judaica no Brasil, pesam desde razões pessoais e religiosas até a intenção de alguns pais de proverem uma boa educação para seus filhos ou fugir da violência urbana, passando por estudantes que querem ingressar nas universidades israelenses. Influenciam na escolha, além disso, fatores conjunturais, como as crises econômica e política vivenciadas pelo país nos últimos anos. "Acho que muitos tinham essa ideia e a situação econômica apenas os empurrou a tomar essa decisão", afirmou Poleg à Folha. 

Para o empresário David Zeitouni, 37, mais do que a crise econômica, foi a instabilidade política o principal motivo para ele trocar Campinas, em São Paulo, por Ashdod, a 30 km de Tel Aviv. Chegou em Israel em novembro, acompanhado da mulher e do filho do casal, de 10 anos. "A situação política chegou num ponto que não dava mais para aguentar tanta patifaria", disse. "Creio que boa parte dos brasileiros que vieram neste ano foi influenciada pelas crises na economia e na política". Zeitouni também menciona a sensação de insegurança no Brasil como um motivo para a mudança. "Aqui eu ando na rua com tranquilidade, posso passear de madrugada, falar ao celular sem ter medo de ser assaltado". 

O direito de fazer o aliá (palavra em hebraico que significa "subir") baseia-se na Lei do Retorno, de 1950, que permite aos judeus de qualquer país do mundo estabelecerem-se em Israel. Após chegarem ao novo país, os aprovados no processo de seleção recebem uma ajuda modesta do governo: curso de hebraico de cinco meses e seis meses de assistência médica gratuita. 

Segundo Poleg, cerca de 70% dos imigrantes brasileiros são de pessoas de até 45 anos, e uma grande porcentagem destes é de famílias que procuram dar uma educação de qualidade para seus filhos. "Israel oferece educação gratuita de qualidade a todos entre a idade infantil (três anos) e o final do ensino médio", afirma a representante da Agência Judaica. Até hoje, mais de 15 mil judeus brasileiros já emigraram para Israel.

Google+ Followers

Seguidores

ormal Real Time Web Analytics