01/10/2016

Serra se reúne com premier de Israel para tentar ampliar relações comerciais

Serra se reúne com premier de Israel para tentar ampliar relações comerciaisO ministro das Relações Exteriores, José Serra, que foi a Israel acompanhar o enterro de Shimon Peres, aproveitou a viagem para buscar uma aproximação com o país do ponto de vista comercial e político. 

Em Jerusalém, o chanceler se reuniu com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, com o objetivo de reforçar as relações econômicas e ampliar o alcance do acordo de livre-comércio entre o Mercosul e Israel.
Ex-presidente, ex-premier e considerado um dos fundadores do Estado de Israel, Shimon Peres foi prêmio Nobel da Paz após mediar, com o líder palestino Yasser Arafat, o Acordo de Paz de Oslo. O enterro de Peres foi acompanhado por 80 líderes mundiais, entre eles o presidente norte-americano, Barack Obama, e o da França, François Hollande.
Após incidentes diplomáticos recentes entre Brasil e Israel, o Itamaraty quer adotar uma nova política exterior tendo com base a ampliação e diversificação das relações comerciais com o país judeu. O interesse do Brasil na convivência pacífica entre Israel e Palestina, no entanto, continua sendo uma posição de Estado.
De acordo com o Itamaraty, Netanyahu recebeu Serra no final da tarde de hoje (30) e os dois concordaram em intensificar as relações políticas bilaterais. "O interesse do Brasil é contribuir para a retomada das negociações entre israelenses e palestinos, rumo a um acordo que possa levar à convivência de dois Estados, Israel e Palestina, lado a lado, em paz e segurança. Isso vai além do Oriente Médio; é fundamental para a paz mundial”, informou o ministério, em nota.
Já no campo das exportações brasileiras, o Itamaraty avalia que o desempenho “deixa a desejar” e que vender mais para Israel “depende do Brasil”.
“Não é aproveitado, ainda, o potencial do Acordo de Livre Comércio Mercosul-Israel. A ideia é reforçar as relações econômicas, com realce para produtos israelenses de alta tecnologia, segurança e defesa.”
Embaixador israelense
Soldados carregam o caixão do ex-presidente e prêmio Nobel da Paz, Shimon Peres. Imagem divulgada pelo governo israelense
Soldados carregam o caixão do ex-presidente de Israel e prêmio Nobel da Paz,
Shimon Peres 
Amos Ben Gershom/divulgação governo israelense/Agência Lusa 
Desde o fim do ano passado, Israel não tem um chefe diplomático no Brasil, após a saída do então embaixador Reda Mansour. O vazamento da indicação de um nome polêmico para assumir o cargo, o do diplomata Dani Dayan, gerou críticas do corpo diplomático brasileiro e fez com que Netanyahu deixasse de indicar oficialmente um nome para o posto.

Antes, em 2014, a então presidenta Dilma Rousseff condenou a ofensiva israelense ao território palestino controlado pelo grupo islâmico Hamas, na Faixa de Gaza.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a presença no enterro de hoje de líderes como o presidente palestino Mahoud Abbas, que em um momento histórico apertou as mãos de Netanyahu nesta tarde, demonstra a capacidade agregadora de Shimon Peres na busca da paz e do caminho que israelenses e palestinos ainda têm de percorrer.
“O governo brasileiro recorda, neste dia, um estadista que se dedicou a construir, defender e desenvolver o seu país, empenhando-se, ao mesmo tempo, em romper as barreiras que as diferenças culturais e religiosas, e as sucessivas guerras, não cessaram de reerguer. Shimon Peres será sempre lembrado por todos por seus exemplos e inspiração para iniciativas em benefício da paz”, disse o Itamaraty.

Edição: Luana Lourenço

SHARE THIS

Author:

Dúvidas, sugestões de pautas, críticas, publicidade, parcerias, etc. Entre em contato pelo seguinte email: coisasjudaicas@gmail.com

0 Comentários:

Deixe sua opinião