Coisas Judaicas : Já percebem Israel?
[ ]
Latest News Updates
Já percebem Israel?
24/03/16 Posted by Coisas Judaicas

 Já percebem Israel? Henrique Raposo
Israel não faz fronteira com o pacato e próspero Luxemburgo, mas durante décadas e décadas a sensibilidade europeia exigiu que Israel se comportasse como um vizinho do Grão-ducado. Tel Aviv é a cabeça de uma democracia cercada por inimigos e com um quotidiano marcado pelo terrorismo, ou seja, vive na história, esse espaço físico e mental que exige o recurso à guerra.
Israel tinha de atirar bombas e erguer muros para sobreviver – mas tudo isto parecia medieval aos olhos dos sofisticadíssimos europeus que nada tinham de sofisticado, diga-se. Eram até bastante obtusos, porque não compreendiam um ponto evidente para a restante população mundial: a tranquilidade europeia dos anos 80, 90 e 2000 era uma excentricidade histórica, não podia ser exportada, era uma pausa feliz e fugaz. Mas, com enorme arrogância, a Europa ocidental pensou mesmo que podia exportar esta tranquilidade pensou que podia exportar a ilegalização da guerra e a proibição de pensar através de conceitos clássicos como “inimigo”. Assumiu-se que todas as questões da ordem internacional eram solúveis através da ética comunicacional de Habermas. Não, não é preciso atirar bombas aos nossos inimigos, basta atirar argumentos e hashtags fofinhas, que eles acabarão por se render à nossa sofisticada bondade!
Com os ataques a Paris e Bruxelas, julgo que esta atmosfera está a desaparecer da cabeça europeia. Os europeus estão a perceber finalmente que o caos da História está a voltar, estão a encerrar nas suas cabeças a fase da negação e em breve compreenderão o que temos pela frente: uma espécie de guerra civil com boa parte da população. Não, não estamos em guerra com todos os muçulmanos europeus, mas estamos em guerra com muitos muçulmanos europeus. O problema não é o refugiado, é o tipo que sempre viveu aqui, o gajo que cresceu em comunidades que odeiam de facto as nossas liberdades, a começar na liberdade das mulheres. Isto determinará uma acção policial mais abrangente e musculada. Se não aumentarmos este músculo no sentido de prevenir ainda mais estes ataques, as nossas sociedades caminharão indefesas para um beco sem saída: medo e o consequente estado de emergência perpétuo.
Depois de assumirem a presença de um inimigo interno, os europeus terão de assumir a presença de inimigos externos e terão de compreender que a guerra é um recurso legítimo. Há que trocar Habermas por Kant, que era bem claro: as potências do Estado de Direito têm o dever de actuar contra as potências do Estado da Natureza ou contra os vazios de poder criadores ed anarquia. As nossas fronteiras leste, sudeste e sul não podem continuar a importar instabilidade para o nosso coração. Por outras palavras, Alemanha, França e Reino Unido têm de liderar um verdadeiro exército europeu preparado para matar e morrer. Bem-vindos à História, esse espaço mental e físico onde sempre esteve esse grande país europeu chamado Israel.

Coisas Judaicas

Agradecemos por sua visita! Se você gostou, use um dos botões acima e compartilhe!

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Deixe sua opinião

Real Time Web Analytics