Coisas Judaicas : Instituto Weizmann desenvolve dieta dos algoritmos
[ ]
Latest News Updates
Instituto Weizmann desenvolve dieta dos algoritmos
14/03/16 Posted by Coisas Judaicas

Um novo estudo de cientistas do Instituto Weizmann descobriu que os níveis de glicose no sangue em resposta à ingestão dos mesmos alimentos variam drasticamente – o que poderia explicar por que uma pessoa não consegue perder os quilos a mais enquanto a outra, que consome os mesmos alimentos, mantém-se sempre em forma. Os cientistas também desenvolveram um algoritmo que prediz, com precisão, as taxas de glicose pós-prandial baseadas na constituição biológica e estilo de vida da pessoa – lançando dúvidas sobre as recomendações dietéticas tradicionais. O achado derruba noções estabelecidas de alimentação saudável e indica que adaptar os hábitos alimentares à biologia da pessoa pode ser a melhor maneira de se manter elegante e saudável. Os autores, Eran Segal e Eran Elinav, monitoraram continuamente as taxas de glicose no sangue de 800 pessoas – e cerca de 47.000 refeições – cada uma ao longo de uma semana, concentrando-se em como certos alimentos desencadeiam respostas na glicose sanguínea, uma medida chamada resposta glicêmica pós-prandial, ou PPGR. As taxas de glicose no sangue são fortemente associadas com a síndrome metabólica que inclui ganho de peso, obesidade, diabete, hipertensão e outros.
Até agora, os médicos e nutricionistas se baseavam no índice glicêmico, ou GI, para determinar que alimentos eram bons para todos. No entanto, o GI é um número fixo para cada item da comida. O que a equipe do Instituto Weizmann descobriu foi que esse número não é um indicador da verdadeira resposta de muitas pessoas. Usando informações coletadas mediante questionários de saúde, medidas corporais, exames de sangue, taxas de glicose, exames de fezes e um aplicativo móvel usado para reportar atividade física e ingestão de alimentos, os cientistas então criaram um algoritmo para prever as respostas personalizadas de glicose sanguínea. O algoritmo – que eles validaram em mais 100 indivíduos – consegue prever as taxas de glicose no sangue após o consumo de diferentes alimentos.
“As enormes diferenças que encontramos no aumento da glicose sanguínea entre diferentes indivíduos que consumiram refeições idênticas explicam por que tantas dietas fracassam. Nossos resultados apontam para o fato de que as opções personalizadas de alimentos provavelmente ajudarão as pessoas a ficar saudáveis mais do que a proposta da dieta universal”, afirma Segal. Alguns dos achados surpreenderam os próprios cientistas. Uma mulher inscrita no estudo, portadora de obesidade e pré-diabetes – que anteriormente havia tentado e fracassado em uma série de dietas – aprendeu que sua taxa de glicose no sangue dava um pulo depois que ela comia tomate. Para outros, as bananas causavam maiores picos nos níveis de glicose sanguínea do que os biscoitos. Há inúmeros exemplos, segundo os cientistas, e, de fato, cada pessoa no estudo vivenciou várias surpresas e descobertas sobre os alimentos que melhor lhes serviam.
O estudo foi parte de uma iniciativa de longo prazo da equipe Segal-Elinav intitulada “Projeto de Nutrição Personalizada”, que integra ferramentas da biologia e ciências da computação e é único em seu foco no microbioma, bactérias intestinais que são, cada vez mais, reconhecidas em seu importante papel na saúde e na doença – graças em parte a estudos como estes. “Os achados de nosso estudo podem ter importância crucial para trilhões de pessoas que sofrem ou estão em risco de desenvolver obesidade, diabetes e suas complicações”, explica Elinav. “Dietas personalizadas, movidas pela Ciência, podem permitir a integração da nutrição tanto no atendimento à saúde quando na vida diária”.

Veja o vídeo do estudo

Coisas Judaicas

Agradecemos por sua visita! Se você gostou, use um dos botões acima e compartilhe!

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Deixe sua opinião

Real Time Web Analytics