29/02/2016

Israel terá torre solar com 240 metros no deserto do Negev

Israel terá torre sola com 240 metros no deserto do Negev

Uma torre de energia solar com 240 metros e 121 megawatts, no coração do deserto israelense do Negev, alimentará 120.000 lares a partir 2017

Fonte: BrightSource Energy and Alstom

Uma representação de como será a instalação da Ashalim pronta, no deserto israelense do Neguev
BrightSource Energy
Em novembro de 2013, o governo israelense assinou um acordo de concessão de 25 anos com a empresa do setor privado Megalim para a construção, operação e manutenção da maior torre solar do país, chamada Ashalim. A usina solar, cujos custos de construção são superiores a 3 bilhões na moeda local, Novo shekel israelense, ou 695 milhões de Euros, ainda está em construção e a expectativa é que esteja completa em 2017.
O projeto é uma parte essencial do compromisso de Israel em produzir 10 por cento de sua eletricidade a partir de energia renovável em 2020, já que a unidade irá produzir perto de 300 megawatts de energia, em torno de 2 por cento da capacidade de produção elétrica de Israel.

A Ashalim está sendo construída na parte sul de Israel, no deserto de Neguev, e será semelhante a atual maior usina solar do mundo, Ivanpah, localizada no deserto de Mojave, na Califórnia, que tem uma capacidade bruta de 392 megawatts. O complexo inteiro inclui dois projetos termosolares e um fotovoltaico. E geração elétrica termosolar é diferente da fotovoltaica, ou de painéis solares, pois concentra a luz solar para criar calor que aciona um gerador para produzir eletricidade.
Infográfico mostrando os princípios básicos da unidade Ashalim.
Infográfico mostrando os princípios básicos da unidade Ashalim.
BrightSource Energy
Uma equipe de milhares de engenheiros, técnicos e operários da construção estão atualmente trabalhando na torre de energia solar de 121 megawatt que funciona com a tecnologia chamada energia solar concentrada (CSP). Mais de 50.000 espelhos voltados para o sol e controlados por computadores, os quais cobrem uma área de 3,15 quilômetros quadrados, refletirão a luz solar sobre uma caldeira de água no topo de uma torre solar com 240 metros, localizada no centro.
Quando em operação, a Ashalim irá alimentar 120.000 lares com energia limpa e evitará 110.000 toneladas de emissões de dióxido de carbono anualmente. De acordo com um recente artigo na Reuters, o governo garantiu a aquisição da eletricidade da Ashalim por um preço acima do mercado.
Uma representação da torre da usina solar Ashalim
Uma representação da torre da usina solar Ashalim
BrightSource Energy
Além dos benefícios econômicos e ambientais, o projeto também está promovendo a tecnologia de energia solar no país. Por exemplo, a construção de uma segunda torre solar na Califórnia foi cancelada por causa da indignação pública pelo calor da unidade matar um grande número de aves e a nova instalação israelense tem uma solução para este problema.
Um extrato de casca de uva vaporizado, que atua como repelente de aves, será pulverizado na área e será emitido o som de predadores naturais, para manter os pássaros afastados. A Megalim também desenvolveu um algoritmo que irá guiar a luz solar de forma a minimizar o aquecimento do ar no entorno dos espelhos.
A Megalim é uma sociedade entre a empresa Alstom, com sede na França, que é responsável pela engenharia e construção da usina solar e pela manutenção nos próximos 25 anos, e a BrightSource Energym, da Califórnia, que irá fornecer a altamente avançada tecnologia CSP. Mais de 80 por cento dos fundos são provenientes do maior fundo de infraestrutura de Israel, Noy Fund, financiado pelo banco Hapoalim, e pelo Banco de Investimento Europeu.
Ivanpah, a maior usina de energia termosolar do mundo, construída pela BrightSource na Califórnia
Ivanpah, a maior usina de energia termosolar do mundo, construída pela BrightSource na Califórnia

SHARE THIS

Author:

Dúvidas, sugestões de pautas, críticas, publicidade, parcerias, etc. Entre em contato pelo seguinte email: coisasjudaicas@gmail.com

0 Comentários:

Deixe sua opinião