Coisas Judaicas : Hapoel Katamon consegue unir judeus e árabes em Jerusalém
[ ]
Latest News Updates
Hapoel Katamon consegue unir judeus e árabes em Jerusalém
25/02/16 Posted by Coisas Judaicas

Hapoel Katamon consegue unir judeus e árabes em JerusalémTodo ano,os torcedores se reúnem e decidem o planejamento do clube para a próxima temporada. A diretoria tem quatro membros vindos da arquibancada, torcedores "comuns". 

As premissas são: democracia e paz. 

Com base nesses pilares, o Hapoel Katamon, de Israel, tornou-se um time popular que prega a união entre judeus e árabes, incentiva o futebol feminino, investe pesado nas crianças e não faz distinção a quem o procura.

A história da fundação do Hapoel Katamon é conhecida. Torcedores do Hapoel Jerusalém ficaram insatisfeitos com os rumos do clube, desaprovaram a chegada de um empresário, viram o time naufragar e tentaram comprá-lo, sem sucesso. Criaram, então, o Hapoel Katamon. Contam com a ajuda de alguns empresários e são uma organização sem fins lucrativos.
Mas a ideia que virou realidade em 2007 toma mais corpo a cada ano e virou um símbolo da tolerância numa sociedade marcada por ódio. "Cerca de 30% das crianças de nossas escolinhas são árabes. Garanto que isso não é fácil em uma cidade como Jerusalém. Muitos de nós crescemos educados com valores negativos. Para nós [do Katamon], tanto faz ser judeu ou árabe, o que buscamos é a igualdade. Misturamos todo mundo", diz Daphne Goldschmidt, uma das fundadoras do Katamon.
O time precisou começar da quinta divisão de Israel. Atualmente, já está na segunda. Eles alugam campos para jogar, pois não têm estádio próprio. Por ironia, dividem estádio com o Beitar Jerusalém, time cuja torcida extremista já expulsou jogadores muçulmanos.
Hapoel Katamon consegue unir judeus e árabes em Jerusalém"De um lado, tem uma equipe que tende à loucura e ao racismo. Do outro, um time formado por famílias e que está contra a violência", resume Goldschmidt. Os torcedores do Hapoel Katamon brigam contra o racismo, mas a briga deles é no campo ideológico, como pregam os fãs. Violência não tem espaço para eles.
Alguns dados enchem Katamon de orgulho. Cerca de 30% da torcida que vai aos jogos é composta por mulheres. Trata-se do único clube que tem estrutura para meninas começarem no futebol. Entre seus sócios existem equipes que contam com a presença de refugiados africanos, homossexuais, pessoas com autismo e outros adultos com disfunções mentais.
Tudo isso é financiado pela anuidade paga pelos sócios, que compraram ações do clube, e por três grandes empresários que patrocinam o clube."Talvez a gente não seja o time que joga melhor, mas é  para todos: mulheres, gays, crianças, famílias, judeus, muçulmanos, cristãos. Trabalhamos para a comunidade", conclui Goldschmidt.

Coisas Judaicas

Agradecemos por sua visita! Se você gostou, use um dos botões acima e compartilhe!

Nenhum comentário:

Leave a Reply

Deixe sua opinião

Real Time Web Analytics