13/09/2015

Mídia, sociedade e preocupações globais

Mídia, sociedade e preocupações globais

Por Sheila Sacks

Parece estar havendo um descompasso entre as pautas da mídia e os interesses da sociedade. Recente pesquisa do Pew Research Center – o banco de dados com sede em Washington que monitora as percepções e as tendências nos Estados Unidos e no mundo – revela que a crise migratória na Europa e o conflito palestino-israelense não estão no topo das preocupações globais. Pelo menos até recentemente. Uma surpresa para os analistas que acompanham a recorrência e a espetaculização desses temas na mídia diária.

Divulgada há dois meses, em 14 de julho de 2015, a consulta foi conduzida em 40 países e envolveu 45.435 pessoas. Para 46% dos entrevistados, as mudanças climáticas e as catástrofes decorrentes, como inundações, secas etc, representam a maior ameaça ao planeta e essa percentagem cresce para 61% nos países da América Latina (no Brasil e no Peru esse índice chega a 75%).

Segundo a pesquisa, também são causas de grande apreensão pública, revelando-se desafios internacionais, problemas tais como a instabilidade econômica global (42%), o grupo Estado Islâmico-EI (41%), o programa nuclear iraniano (31%), os ataques cibernéticos a bancos e corporações (30%), a tensão entre a Rússia e seus vizinhos (24%) e as disputas territoriais entre a China e seus vizinhos (18%). O temor em relação ao EI é mais alto na Europa (70%) e nos Estados Unidos (68%).

No Brasil, é interessante observar, o programa nuclear do Irã e o terrorismo do Estado Islâmico preocupam 49% e 46% dos entrevistados, respectivamente, percentuais mais elevados do que os contatados no continente europeu e nos países da América Latina, que apresentam médias de 42% e 33%. Já o fator da instabilidade econômica é motivo de inquietação para 60% dos brasileiros.

A análise e os gráficos estão no link:




SHARE THIS

Author:

Dúvidas, sugestões de pautas, críticas, publicidade, parcerias, etc. Entre em contato pelo seguinte email: coisasjudaicas@gmail.com

0 Comentários:

Deixe sua opinião