Para governar é necessário compreender e guiar cada um dos governados

Parashat Pinchas

Rabino Eliahu Birnbaum

A sucessão de Moshe na liderança de Israel é o tema central desta Parashá. Moshe sabe que morrerá e reza a D’us para que escolha um bom líder para guiar o povo quando ele não esteja mais.

“Então falou Moisés ao Senhor, dizendo: O Senhor, D’us dos espíritos de toda a carne, ponha um homem sobre esta congregação, Que saia diante deles, e que entre diante deles, e que os faça sair, e que os faça entrar; para que a congregação do Senhor não seja como ovelhas que não têm pastor.”

Moshe não se preocupa por ele mesmo e sim, pelo povo. Se angustia com a possibilidade de que o povo se encontre sem um líder que lhes possa guiar.

Moshe conhece o povo, lhes serviu como um líder por quarenta anos. Neste momento roga a D’us que escolha, quando ainda esteja vivo, uma pessoa para sucedê-lo nesta dfícil missão.

Moshe quer participar da eleição do novo líder, quer assegurar-se que seja alguém que entenda as necessidade do povo. Ele deseja poder instruir este sucessor e treiná-lo para que, assim, possa adquirir a convicção de que todo o esforço que foi investido durante tantos anos não tenha sido em vão e não se perca pela falta de alguém que continue este trabalho.

Moshe especifica as qualidades que seu sucessor deve possuir. Antes de tudo deve ser “um homem sobre a congregação”, que atenda e entenda as necessidades do povo. Deve ser um homem sensível as expressões e ao que acontece com as pessoas. Deve ser sincero e possuir uma profunda vontade em ajudar ao próximo, a qualquer momento.

“Um homem que possa orientar e dirigir o povo, de acordo com suas necessidades”. Aquele que suceder Moshe na liderança do povo deve possuir uma linha e objetivos claros, porém deve também levar em consideração e saber canalizar as necessidades e inquietudes daqueles que são liderados.

Rashi em sua análise, indica que a pessoa que Moshe está buscando deve ser capaz de demonstrar sensibilidade com cada indivíduo. “D’us Você conhece o caráter de cada pessoa e Sabe que um não é igual ao outro. Escolha um pastor que saiba compreender e conceder a cada um deles de maneira individual”. Assim revela Moshe seu desejo, sentindo, por experiência própria, que um lider somente terá sucesso com o coletivo se souber alcançar cada indivíduo separadamente.

Moshe também exige para a congregação um homem “que saia diante deles, e que entre diante deles, e que os faça sair, e que os faça entrar”, em outras palavras, que seja um dirigente que acompanhe seu povo, “saindo e entrando com eles”. Não um dirigente como aqueles que os outros povos possuem, que enviam seus exércitos as guerras enquanto permanece no conforto de seus palácios. No povo de Israel, o rei, ou aquele que ocupa o papel de líder, sai a guerra encabeçando seu exército. Mesmo hoje, ao sair para o campo de batalha, os oficias do exército de Israel dizem “Acharai” (atrás de mim), e saem, com o oficial encabeçando o batalhão.

Contudo não se trata somente de “conduzir-los”, e sim, também, de trazê-los. Levar um povo a guerra é relativamente fácil. Aonde a maioria fracassa é em trazer o povo de volta a sua vida normal, tanto física como psicológica e, com certeza, espiritual.

O homem que Moshe busca como sucessor deve ser o protótipo do líder autêntico, realmente comprometido com a sorte daqueles que depositam nele, seus destinos. Deve ser, sempre, consciente dos objetivos dos quais deve dirigir e capaz de projetar e se responsabilizar pelas consequências de cada empreendimento que pretenda envolver sua comunidade.

Retirado do livro “La Tora no Esta en El Cielo”
Coisas Judaicas

Coisas Judaicas

Blog Judaico - Tudo sobre Israel, judaísmo, cultura e o mundo judaico

Deixe seu comentário:

0 comments:

Deixe sua opinião